quarta-feira, dezembro 12, 2007

Há um ano...

Há precisamente um ano atrás, o meu pequeno mundo abateu-se sobre mim.
A primeira grande desilusão profissional da minha vida aconteceu! (digo primeira porque não tenho a ingenuidade nem a veleidade de achar que nunca mais me irei desiludir).
Depois de quase um ano de uma excelente experiência profissional numa grande empresa, de uma forma abrupta e sem nada o fazer prever (...ou então não) foi-me anunciado que esse vínculo iria terminar.
Contextualizando: depois de me estrear no mundo empresarial e de, passo a modéstia, ter tido alguns elogios quanto ao desempenho; depois de no plano pessoal ter decidido dar um grande passo na aquisição da minha (nossa) casinha, pareceu que de um momento para o outro o chão me fugiu de debaixo dos pés.
Depois de uns dias de revolta inicial, conformei-me e adoptei uma forma de pensar que tento que me acompanhe sempre: Se isto aconteceu, por alguma razão foi e é porque algo melhor estará reservado para mim.
É claro que uma coisa é racionalmente tentar pensar desta maneira, outra é a componente emocional...e essa dizia-me que as coisas que tinha vindo a realizar há quase um ano, que as relações que tinha estabelecido ao longo deste tempo iriam desaparecer e que me teria de "lançar" novamente à aventura do mercado de trabalho.
Não vou mentir, naquele quase um mês entre ter recebido a notícia e o dia em que teria que me ir embora, a desmotivação apoderou-se de mim...mas seguindo os meus valores e conselhos preciosos daqueles que me amam, continuei a dar o meu melhor e a ser o mais profissional possível. Todos me diziam: mantém o teu trabalho e a tua forma de agir porque nunca se sabe o que pode acontecer e que pessoas se podem cruzar na tua vida.
Nesse período organizei uma das coisas que mais satisfação pessoal e orgulho me deram, uma acção de solidariedade social como muitas as que as Guias me habituaram e procurei aproveitar cada dia que ainda tinha com algumas pessoas absolutamente fantásticas que conheci.
Eu sabia que, apesar de ter sido só um ano, que levaria experiência, ensinamentos e amizades que me acompanhariam sempre...
Hoje, passado um ano desse momento menos bom, tudo mudou e tudo ficou na mesma!
O início do ano de 2007 trouxe-me a oportunidade de continuar o tal vínculo profissional mas ainda temporário. Pude aventurar-me numa área profissional diferente e testar as minhas capacidades. O meio de 2007 trouxe-me uma surpresa melhor ainda, a possibilidade de passar a um vínculo efectivo e um novo desafio profissional.

Olhando para trás, sei que tenho muito que agradecer:
... ao meu amor e à minha família por me apoiarem e levantarem a moral;
... às minhas duas amigas que me apoiaram incondicionalmente e sofreram comigo aqueles momentos;
... àqueles colegas que acreditaram em mim e que tudo fizeram para me ajudar a sair daquela situação, não desistindo de mim;
...àqueles colegas, que trabalhando comigo naqueles dias mais imediatos, partilharam comigo a minha desmotivação e tristeza e que ouviram os meus desabafos;

Olhando para trás, confirmo que tudo acontece por uma razão, que podemos demorar mais ou menos tempo a perceber porquê mas que todos os revezes se transformam numa oportunidade única de aprendizagem.

Como diz uma frase de um dos meus filmes de sempre: "Quando Deus fecha uma porta, abre sempre uma janela"


PS: espero voltar em breve para o balanço anual de sempre, é nestas alturas que me inspiro verdadeiramente...agora que a parte profissional já está coberta, talvez uma reflexão do plano pessoal!

2 comentários:

Pratas disse...

Pessoalmente, como colega e amigo, digo-te que teria sido uma perda enorme nos deixares...

Desde o dia que soubeste que ficavas, o teu sorriso mudou para melhor, não o percas.

Beijinhos,
LP

Tigger disse...

Obrigada:) já sabes que estás incluido nos agradecimentos!